Transporte na Austrália - História

Transporte na Austrália - História

AUSTRÁLIA - Militar

Aeroportos:
455 (2006)
Aeroportos - com pistas pavimentadas:
total: 311
mais de 3.047 m: 10
2.438 a 3.047 m: 12
1.524 a 2.437 m: 133
914 a 1.523 m: 143
abaixo de 914 m: 13 (2006)
Aeroportos - com pistas não pavimentadas:
total: 144
1.524 a 2.437 m: 18
914 a 1.523 m: 111
abaixo de 914 m: 15 (2006)
Heliporto:
1 (2006)
Pipelines:
condensado / gás 546 km; gás 31.323 km; gás de petróleo liquefeito 240 km; óleo 4.808 km; óleo / gás / água 110 km (2006)
Ferrovias:
total: 47.738 km
bitola larga: bitola de 4.015 km 1.600 m
bitola padrão: 28,662 km bitola 1,435 m (1.397 km eletrificados)
bitola estreita: bitola de 14.831 km 1.067 m (2.462 km eletrificada)
bitola dupla: bitola dupla de 230 km (2005)
Estradas:
total: 810.641 km
pavimentada: 336.962 km
não pavimentado: 473.679 km (2004)
Vias navegáveis:
2.000 km (usados ​​principalmente para recreação nos sistemas fluviais Murray e Murray-Darling) (2002)
Comerciante Marinho:
total: 53 navios (1000 GRT ou mais) 1.361.000 GRT / 1.532.874 DWT
por tipo: graneleiro 17, carga 4, navio químico 3, contêiner 1, gás liquefeito 4, passageiro 6, passageiro / carga 7, navio-tanque de petróleo 6, roll on / roll off 5
de propriedade estrangeira: 17 (Canadá 1, França 3, Alemanha 3, Japão 1, Holanda 2, Noruega 1, Filipinas 1, Reino Unido 2, EUA 3)
registrados em outros países: 34 (Antígua e Barbuda 1, Bahamas 2, Bermudas 3, Fiji 1, Hong Kong 1, Libéria 2, Ilhas Marshall 2, Holanda 1, NZ 2, Panamá 3, Portugal 1, Cingapura 7, Tonga 1, UK 3, US 2, Vanuatu 2) (2006)
Portos e terminais:
Brisbane, Dampier, Fremantle, Gladstone, Hay Point, Melbourne, Newcastle, Port Hedland, Port Kembla, Port Walcott, Sydney


Herança de transporte da Austrália e # 8217s

ORGULHANDO-SE POUCO MAIS do que um armazém e um pub, Murrabit não tem nenhuma semelhança com o centro próspero que um dia foi imaginado que se tornaria. Mais de um século atrás, o jovem assentamento de Riverina era promissor. Situado às margens do rio Murray, no norte de Victoria, era cercado por pastagens planas que os funcionários da ferrovia declararam que “por fim ficariam repletas de cidades”. Na época, o transporte fluvial e ferroviário estava florescendo e o comércio agrícola estava em alta. Foi o apogeu da era do vapor.

Hoje, embora Murrabit não seja o movimentado centro comercial que os planejadores cívicos esperavam, é uma das várias cidades em Riverina que lembram a era dos trilhos. Uma ponte ferroviária toda de aço atravessa o Murray em Murrabit, uma das muitas construídas no final do século 19 e início do século 20 para ligar centros regionais no sul de NSW com aqueles em Victoria, e é uma lembrança de um longo tempo.

Vídeo relacionado

No início da década de 1870, Echuca era o porto interior mais movimentado da Austrália. A cidade vitoriana, situada nas margens do rio Murray, cerca de 110 km a jusante de Murrabit, era o centro do comércio de vapor de remo da Austrália. A carga foi transportada ao longo do rio para o movimentado cais de Echuca, onde foi descarregada e transportada por trilhos para os mercados de Melbourne.

Na época, fazendeiros no sul de NSW estavam fazendo campanha por uma ponte sobre o Murray para que pudessem transportar seus produtos para o mercado por ferrovia nas linhas de Echuca. Em 1879, uma travessia ferroviária de 12 m de altura, toda de aço em Echuca ligou as linhas entre os estados e deu início a uma enxurrada de ofertas de financiamento de pontes por condados próximos. Tocumwal, NSW, foi a próxima cidade de Riverina a receber financiamento do governo. Sua ponte de ferro fundido foi inaugurada em abril de 1895, mas a um custo de £ 19.635 (cerca de US $ 3,3 milhões hoje), projetos e materiais mais baratos foram procurados para projetos subsequentes.

Em 1887, os ministros das Obras Públicas de Victoria e NSW se reuniram para discutir quais cidades ao longo do Murray se beneficiariam de uma ponte ferroviária. Swan Hill, Victoria, foi a próxima na fila. O contrato foi concedido ao engenheiro civil Percy Allan, que projetou mais de 550 pontes NSW durante sua notável carreira.

No final da década de 1870, os empresários locais afirmaram que o município vitoriano de Koondrook poderia eventualmente rivalizar, ou mesmo superar, Swan Hill. Sua campanha por uma ponte sobre o Murray para Barham foi ignorada até junho de 1900, quando o barco desabou, com a perda de um trator pertencente ao fazendeiro John Hackett's. Uma delegação dos departamentos de Obras Públicas de Victoria e NSW chegou na semana seguinte e aprovou uma construção de £ 10.345 ($ xx) incorporando o mecanismo de elevador de Percy Allan.

Os cidadãos de Koondrook e os das proximidades de Barham e Kerang tiveram um feriado em 10 de abril de 1903 para testemunhar o início da construção da ponte, e outro para a inauguração oficial 19 meses depois. Embora a população de Swan Hill chegue a quase 10.000 hoje, e a de Koondrook seja pouco mais de 800, a cidade ainda se orgulha da ponte, que celebrou seu centenário em outubro de 2004.

Tooleybuc, em NSW, foi conectada ao seu vizinho vitoriano Piangil em 1925. De acordo com Richard Ball, MP de Tooleybuc, ele colocou a cidade no mapa. Murrabit experimentou um impulso semelhante. No início do século 20, a cidade era um pequeno assentamento agrícola conhecido como Gonn Crossing.

Em 1911, os fazendeiros locais começaram a peticionar por uma ponte sobre o rio para que pudessem transportar seus produtos para Kerang e assim por diante para Melbourne. A Liga Ferroviária projetou que a área prosperaria e imaginou cidades surgindo por toda a região. Suas projeções otimistas influenciaram a Comissão das Ferrovias de Fronteira e, em 19 de dezembro de 1925, a inauguração de uma ponte toda de aço em Gonn Crossing foi celebrada com um baile de gala.

A área logo se tornou conhecida como Murrabit e uma estação ferroviária, correio, armazém geral, açougue e igreja logo foram construídos. Porém, pouco mais de uma década depois, o frete ferroviário foi substituído pelo transporte rodoviário. Um por um, os negócios de Murrabit fecharam. A linha férrea foi fechada em 1961 e, apesar das projeções otimistas da Rail League, as pastagens ao redor de Murrabit nunca se viram repletas de cidades.

Sem a ponte, no entanto, Murrabit não seria o lugar que é hoje, diz Jill Sutherland local em sua história publicada da cidade: “O legado que a linha nos deixou na forma da ponte é enorme. A coesão das pessoas, que vivem a poucos passos de distância umas das outras, mas com o rio entre eles, torna-se possível. ”


A introdução de uma ponte multimodal na Austrália

A ponte Eleanor Schonell foi inaugurada formalmente quase dois meses antes do previsto na cidade de Brisbane, no estado australiano de Queensland. Esta estrutura de 1.706 pés (520 metros) de comprimento cruza a seção do rio Brisbane entre o subúrbio interno de Dutton Park e o campus de St Lucia da University of Queensland (UQ).

Campbell Newman, senhor prefeito de Brisbane de 2004 a 2011 (e premier de Queensland entre 2012 e 2015), oficializou a inauguração da ponte. “A inauguração foi marcada com um dia de diversão para a família com atividades e entretenimento”, observou um comunicado à imprensa da UQ.

Esta ponte foi a primeira na Austrália projetada exclusivamente para uso compartilhado por ciclistas, pedestres e ônibus. Ciclistas e pedestres conseguiram primeiro atravessar a ponte no dia da inauguração nos meses seguintes, os serviços de ônibus também começaram a usar a nova estrutura.

Os planos em grande escala para esta ponte também envolveram medidas de conservação de energia. Essas medidas incluem o uso de lâmpadas de baixa voltagem na ponte. Além disso, um telhado solar de alto perfil foi instalado para ajudar a tornar a ponte mais eficiente em termos de energia. Os painéis do telhado fornecem eletricidade de volta à rede de autoridade de fornecimento, o que ajuda a compensar a eletricidade usada pela ponte à noite. Devido ao desenvolvimento desses planos de economia de energia durante as fases de projeto e construção da ponte, a estrutura tornou-se amplamente conhecida como “Ponte Verde” antes de sua inauguração. Este nome ainda é usado por muitas pessoas hoje em dia quando se refere à ponte.

O nome oficial da nova ponte foi anunciado por Newman em 28 de agosto de 2006. Ele recebeu uma pequena lista de nomes possíveis por um painel independente de cidadãos que passou por centenas de opções sugeridas pelo público. O homônimo da nova ponte era um cientista educacional australiano nascido na África do Sul e residente em Brisbane. Eleanor Schonell (1902-1962) alcançou renome mundial por seu trabalho pioneiro com crianças afetadas por dislexia e paralisia cerebral

No dia em que a Ponte Eleanor Schonell fez sua estreia formal, o vice-reitor da UQ, John Hay, destacou a importância dessa estrutura para sua universidade. Ele explicou: “Oitenta anos atrás, Santa Lúcia foi escolhida como o local para estabelecer a universidade no entendimento de que a Câmara Municipal de Brisbane concordaria em tornar o campus acessível com uma ponte”.

Hay então observou: “Embora o município tenha fornecido serviços de ônibus e balsa de e para UQ, a abertura da nova ponte marca tanto a adesão a essa promessa quanto um nível sem precedentes de acesso ao campus. A ponte vai aproximar a Universidade da comunidade do entorno, abrindo o campus e suas instalações para as pessoas que vivem na zona sul, ao mesmo tempo em que observa o compromisso da Universidade com o meio ambiente. ”


Transporte na Austrália explicado: um guia completo

Quando se trata de transporte, a Austrália oferece muitas opções excelentes. Se você deseja se locomover pela cidade nos finais de semana ou apenas deseja viajar, é importante saber como funciona o sistema de transporte na Austrália.

O país oferece diversos meios de transporte, que vão desde trens, bicicletas, ônibus, táxis até aviões e trens. Neste post, falaremos em detalhes sobre o transporte australiano.

1. Modos comuns de transporte na Austrália:

1.1 Ciclismo / Bicicleta

A maioria dos estudantes internacionais gasta entre $ 700 - $ 1500 por ano com transporte. Isso torna a compra de uma bicicleta uma alternativa econômica. Os alunos podem comprar uma bicicleta ou até mesmo alugá-la. Aqui está a lista de algumas cidades australianas que oferecem esquemas de compartilhamento de bicicletas.

No entanto, é obrigatório que o ciclista use capacete, faróis na frente e atrás da bicicleta e um bom cadeado para proteger a bicicleta de roubo. Além disso, o ciclista precisa seguir as regras da estrada.

1.2 Ônibus e ônibus

Os ônibus são um dos meios de transporte mais comuns e econômicos para estudantes internacionais na Austrália. A maioria desses serviços pode ser operada facilmente a partir de um sistema de cartão inteligente reutilizável, mas em algumas cidades e vilas regionais, você pode comprar passagens diretamente com os motoristas de ônibus.

Dependendo do destino, você também pode escolher viagens de ônibus de longa distância. Esta é outra opção barata do que viagens de trem. Viajar de ônibus é confortável, pois a maioria dos veículos tem entretenimento a bordo e banheiros. Alguns dos treinadores mais recentes têm até pontos de carregamento Wifi e USB.

Para reservar um ônibus ou ônibus, você pode visitar sites como:

1.3 O sistema ferroviário na Austrália

O sistema de metrôs e trens da Austrália se conecta a todas as partes do país. A grande rede ferroviária da Austrália compreende mais de 33.919 km de trilhos. É um dos meios de transporte mais fáceis e convenientes do país.

Provedores de serviços ferroviários populares são:

Indian Pacific Sydney - Broken Hill - Adelaide - Kalgoorlie - Perth

The Ghan Adelaide - Alice Springs - Katherine - Darwin

NSW TrainLink Brisbane - Sydney - Melbourne

1.4 Táxis e serviços de Uber

Para uma viagem longa e confortável, o táxi é uma excelente escolha. Assim como na maioria dos países, os táxis podem ser facilmente vistos na beira da estrada. Você pode alugá-lo balançando-o na beira da estrada. É um dos melhores métodos para se deslocar rapidamente pela cidade. Além disso, a maioria das empresas de táxi na Austrália tem seus próprios aplicativos de smartphone para calcular tarifas e reservar um táxi.


Resumindo, os táxis podem ser uma opção cara e inconveniente. Portanto, se possível, antes de pegar um táxi, use o aplicativo de transporte público de Sydney para saber o preço estimado para sua viagem. Além disso, os visitantes estrangeiros devem ter em mente que as tarifas de táxi na Austrália não são negociáveis. Você tem que pagar o valor exato refletido no medidor.

Normalmente, os táxis custam mais depois das 22h e o turno dos motoristas começa às 15h e às 3h na maioria das cidades. Se você quiser reservar táxis para viajar dentro da Austrália, aqui estão alguns provedores de serviços de táxi que podem ajudar:

Como alternativa, os serviços de compartilhamento de carona, como o Uber, podem ser uma opção muito confiável e mais barata. De acordo com a pesquisa de Roy Morgan, 22,9% dos australianos (com 14 anos ou mais) preferem um Uber em comparação com os táxis (21,8%).

1.5 Companhias Aéreas

As viagens aéreas cobrem grandes distâncias entre as principais cidades da Austrália, o que acaba economizando tempo. Por exemplo, se você quiser viajar entre Sydney e Perth, levará aproximadamente 5 horas. Mas se você viajar entre os mesmos destinos por estrada, levará de 40 horas a 14 dias, dependendo das várias paradas que fizer durante a viagem. As 4 principais companhias aéreas da Austrália são:

2. Sites de transporte público e aplicativos para smartphones

Independentemente de onde você more na Austrália, cada território tem seu próprio site de transporte público. Você pode verificar os sites de transporte do estado em que reside e explorar os diferentes sistemas de transporte público. Aqui está a lista de sites de transporte público em cada estado e território.

Território da Capital Australiana - AÇÃO

Além disso, a maioria das autoridades de trânsito australianas fornecem aplicativos de smartphone que ajudam você a viajar pelas cidades usando o transporte público. O aplicativo permite que você acesse serviços como (reagendar, cancelar ou aproveitar serviços atrasados), descobrir pontos de ônibus mais próximos, tempo estimado de chegada e planejar sua viagem de qualquer lugar e para onde você quiser.


3. Sistema de cartão inteligente reutilizável

A tecnologia de cartão inteligente é uma excelente alternativa para transações em dinheiro, especialmente quando se trata de coleta de tarifas de transporte público da Austrália. Oferece serviços de transporte mais eficientes para os passageiros e os ajuda a evitar longas filas de bilhetes.

Além disso, o sistema de cartão inteligente reutilizável torna mais conveniente para os provedores de serviços de transporte na Austrália processar as transações de tarifas.



Aqui estão as capitais da Austrália que implementaram diferentes sistemas de cartões inteligentes reutilizáveis ​​para seus serviços de transporte público:

Sydney: Sistema de bilhética Opal Card, usado em ônibus, trens, balsas e bondes.

Brisbane: Bilhete eletrônico Go Card, usado em ônibus, trens, balsas e bondes.

Adelaide: Cartão inteligente eletrônico MetroCARD, usado em ônibus, bondes e trens.

Melbourne: Passagem de Myki, usada para viajar em bondes, ônibus e trens na Austrália.

Canberra: Sistema de bilhetagem MyWay, utilizado em veículos leves sobre trilhos e ônibus.

Perth: Sistema de bilhetagem SmartRider, usado em ônibus, trens e balsas.

Darwin: Cartão Tap and Ride, usado em ônibus.

Hobart: Tecnologia inteligente Greencard usada em ônibus.


Observação: Para obter mais informações sobre cartões inteligentes de transporte público, visite os sites de cartões inteligentes de cada cidade.


4. Onde comprar os cartões inteligentes


Ao chegar à Austrália, você pode comprar os cartões inteligentes no aeroporto internacional ou doméstico ou nas estações de trem, dependendo da cidade de chegada.

Você também pode obter os cartões em diferentes cidades nos cais das balsas, rodoviárias, bancas de jornal, supermercados, lojas 7-Eleven, lojas de conveniência, máquinas de venda automática e farmácias.

5. Vantagens dos cartões reutilizáveis ​​de transporte público

  • Gerenciamento de conta online: Você pode gerenciar facilmente seu cartão inteligente online. Por meio de sua conta online, você pode visualizar todas as suas viagens, verificar seu saldo atual e ver qual meio de transporte utilizou.
  • Pré-pagamento: Este é um dos benefícios mais significativos de usar um cartão inteligente na Austrália. Recarregar o cartão ou fazer o pré-pagamento antes de iniciar a viagem torna mais fácil viajar sem ter que ficar em longas filas por ingressos e se atrapalhar em sua carteira à procura de moedas. Além disso, é mais barato pagar pela sua viagem com antecedência do que pagar cada vez que você viajar.
  • Carregamento automático: Se o saldo da sua conta estiver baixo, a autoridade de trânsito irá recarregar instantaneamente a sua conta através do seu cartão de crédito ou débito para que você possa viajar sem qualquer inconveniente. Recargas automáticas só ocorrerão se você tiver permitido a autoridade de trânsito durante o processo de inscrição. Se você decidir não aproveitar o serviço de recarga automatizado, você sempre pode pagar ao balcão em locais diferentes.
  • Ofertas e descontos: Usar o cartão de transporte público da Austrália pode fornecer vários benefícios, incluindo tarifas com desconto durante os horários de viagem fora de pico, tarifas limitadas nos fins de semana e viagens grátis quando você fez um número específico de viagens. Você também pode usar o mesmo cartão inteligente em diferentes modos de transporte rodoviário na Austrália.
  • Mais conveniente: Os cartões inteligentes são extremamente fáceis de usar, tudo o que você precisa fazer é & ldquotocar & rdquo e desligar & rdquo nos leitores de cartão, localizados em pontos de metrô, estações de trem, cais de balsas e ônibus. O uso de cartões inteligentes ajuda você a economizar tempo e evitar bilheterias. Se você estiver atrasado, basta pegar o cartão e tocar nos leitores de cartão.

Observação: Ao chegar à Austrália pela primeira vez, pode ser necessário usar dinheiro antes de obter um cartão inteligente. Portanto, certifique-se de usar denominações menores, como notas ou moedas de menor valor, pois os operadores de bilheteria ou motoristas não gostam de tomar notas grandes.

6. Concessões de transporte para estudantes internacionais

A autoridade de transporte da Austrália também oferece concessões para estudantes internacionais em cada território e estado. Vamos dar uma olhada neles:

Território da Capital da Austrália (ACT)

  • O ACT oferece concessões de transporte para estudantes internacionais quando eles fornecem sua carteira de estudante oficial ou quando solicitam com sucesso um cartão de concessão de estudante. Para obter informações detalhadas sobre os cartões de concessão oferecidos pelo governo ACT, visite o site da Transport Canberra.


Território do Norte (Austrália)

  • Se você for aluno de uma escola primária, secundária ou do último ano do ensino médio no Território do Norte, poderá viajar gratuitamente se apresentar um cartão de estudante válido. No entanto, os estudantes VET e universitários só têm acesso a viagens ilimitadas por três horas após apresentarem um cartão de estudante genuíno e pagarem $ 1,00 em qualquer serviço de ônibus regular. Você pode obter mais informações sobre isso no site de transporte público da NT & rsquos.

Nova Gales do Sul (NSW)

  • Os estudantes internacionais em NSW geralmente não recebem concessões estudantis. Mas, alguns alunos com bolsas de estudo totalmente financiadas pelo governo australiano podem obter concessões de transporte. Seria melhor se você entrar em contato diretamente com seu provedor de ensino para obter mais informações. Você também pode visitar o transporte NSW para receber mais detalhes sobre como se locomover em Nova Gales do Sul e transporte público em Sydney.

Austrália Ocidental

  • Na Austrália Ocidental, os estudantes internacionais que estudam em tempo integral têm direito a transporte rodoviário nas concessões da Austrália. Na área metropolitana de Perth, por meio dos serviços de transporte público da Transperth, os alunos podem viajar pela rede de trem, ônibus ou balsa. Visite o site da Transperth para obter mais informações sobre passes de concessão.



Austrália do Sul (SA)

  • Todos os estudantes internacionais na Austrália do Sul podem aproveitar as concessões de transporte após apresentarem seus cartões formais de identificação de estudante. Você pode encontrar mais detalhes sobre tarifas e outras condições no site do Metro de Adelaide.


Tasmânia (TAS)

  • Estudantes locais e estudantes internacionais que vivem na Tasmânia se qualificam para as mesmas concessões de viagens. Visite o site da Tasmanian Government & rsquos Transport Discounts & amp Concessions para ver cada concessão em detalhes.


Queensland (QLD)

  • Você tem direito a concessões de transporte se estiver fazendo um curso de tempo integral em uma instituição educacional em Queensland. O curso que você está estudando deve ser aprovado pelo Centrelink para fins de Abstudy, Austudy ou Bolsa para Jovens. Você pode visitar o site da Translink para obter informações completas sobre as tarifas de transporte em Queensland.

Victoria (VIC)

  • Se você tem status de refugiado, veio para a Austrália para um programa de intercâmbio internacional ou obteve uma bolsa de estudos para desenvolvimento australiano, você tem direito a um cartão de concessão em Victoria. Você pode falar com seu provedor de educação para obter todos os detalhes sobre os serviços de transporte público Victoria. Além disso, você pode verificar o site Study Melbourne para obter detalhes exatos sobre o transporte rodoviário na Austrália.

7. Serviços de transporte na Austrália durante feriados públicos

O transporte público na Austrália é menos frequente, menos disponível ou mais caro em diferentes épocas do ano. Na maioria dos feriados, os serviços de transporte público estão disponíveis aos sábados ou domingos, de acordo com a linha do tempo do transporte na Austrália.

Você pode obter mais informações sobre isso no site oficial da autoridade de trânsito e rsquos da cidade em que está morando. Você também pode encontrar os detalhes em seu aplicativo para smartphone.

8. Higiene e Segurança no Transporte Público

Os sistemas de transporte público na Austrália oferecem serviços limpos, seguros e bem mantidos para os passageiros. Esses serviços são altamente monitorados para garantir que as pessoas recebam o melhor transporte público da Austrália com instalações de primeira linha.

Na Austrália, você nunca verá ônibus, trens ou outros meios de transporte lotados de passageiros.

Você descobrirá que ônibus, trens e bondes na Austrália têm um design confortável e moderno com ar condicionado. Além disso, terminais e estações estão sob vigilância 24 horas, tornando-os extremamente seguros para os passageiros.

Você também verá guardas de segurança nos terminais e estações, garantindo a segurança em todos os momentos. Ao todo, o governo australiano oferece o melhor transporte público da Austrália, principalmente projetado para ser conveniente, eficiente e seguro.

A Austrália oferece uma ampla variedade de opções de transporte para você escolher. Você pode escolher um de acordo com sua conveniência, orçamento e viagens sem qualquer aborrecimento.


Transporte na Austrália - História

Desde 1998, seu principal recurso para educação na Austrália.

Você pode comprar passes de trem para viagens estaduais ou regionais. Os sistemas ferroviários têm seus próprios passes ferroviários, mas muitos permitem viajar em vários sistemas ferroviários. Austrail- é um passe de classe econômica que permite viajar para qualquer lugar em toda a rede ferroviária. Este passe inclui todos os sistemas metropolitanos. O passe Austrail deve ser usado em dias consecutivos. As durações incluem planos de viagem de 14, 21 e 30 dias. Este passe deve ser comprado antes de você chegar e viajar na Austrália. Residentes australianos não podem comprar este passe. Austrail Flexipass - Um passe de viagem flexível em classe econômica com intervalos de 8, 15, 22 ou 29 dias em 6 meses. A única restrição real é com o passe de 8 dias que não permite que você viaje entre Adelaide / Perth ou Adelaide / Alice Springs.

Transporte na Austrália

O fato de a Austrália abrigar algumas das melhores universidades do mundo é apenas um dos muitos motivos pelos quais estudantes de todo o mundo optam por continuar seus estudos neste país diverso e intrigante. Com geografia que varia de desertos áridos a florestas tropicais e uma mistura eclética de culturas encontradas em todo o país, aprender e explorar fora da sala de aula traz uma profundidade totalmente nova para a educação que os alunos que estudam na Austrália receberão. Para aproveitar ao máximo a variedade de experiências disponíveis durante a sua estadia, é necessário que você se familiarize com as opções locais, regionais e cross-country de transporte na Austrália. Isso permitirá que você determine as opções mais acessíveis e convenientes para cada excursão.

O tipo de transporte que melhor atenderá às suas necessidades depende do tipo de viagem que você planeja embarcar enquanto estiver na Austrália. Por exemplo, embora alugar um carro possa ser a melhor opção para viagens rodoviárias de fim de semana explorando partes da Austrália e do vasto Outback, aventuras urbanas em uma das principais cidades da Austrália podem ser facilmente realizadas usando apenas o transporte público. É importante lembrar que a Austrália abrange 2.988.902 milhas quadradas (7.741.220 quilômetros) e que você deve esperar grandes distâncias para ir de uma grande cidade a outra.

Chegando na Austrália


Antes de participar de qualquer tipo de viagem dentro da Austrália, você primeiro precisa chegar lá. Isso quase sempre é feito de avião, embora seja possível chegar de barco também. Os principais aeroportos estão localizados em Sydney, Brisbane, Melbourne, Adelaide, Perth, Hobart, Cairns e Darwin, com cada um desses destinos atendidos por grandes companhias aéreas geralmente conectando dos EUA, Europa ou Ásia.

Se sua universidade está localizada na cidade de chegada, você provavelmente encontrará um táxi ou ônibus como o meio de transporte mais conveniente entre o aeroporto e o campus. Antes de planejar seu transporte terrestre, verifique com sua escola se é uma das muitas que oferecem serviços de chegada a novos alunos, incluindo um representante para encontrá-lo no aeroporto ou providenciar um serviço de transporte para o campus.

Viagem de avião na Austrália


Devido à grande distância entre as principais cidades e diferentes regiões do país, a viagem de avião é uma opção popular de transporte na Austrália. Embora esta opção não permita que você desfrute de uma viagem panorâmica ao longo da costa ou na natureza, permitirá que você chegue muito mais rápido do que com outras opções de transporte. Se você pretende viajar de longa distância na Austrália, pesquise online as ofertas de voos domésticos. Os estudantes geralmente encontram tarifas acessíveis na Jetstar, embora a Qantas e a Virgin Blue também sejam boas opções.

Viagem de trem na Austrália


Se a sua programação de viagem permite mais tempo para o transporte, você pode querer viajar de trem. O transporte ferroviário na Austrália está bem estabelecido e é um meio de baixo custo para viajar dentro de cada estado, bem como em todo o país. A escolha de viajar de trem permitirá que você desfrute de uma viagem panorâmica enquanto a caminho de seu destino, mas levará muito mais tempo para chegar do que viajar de avião.

Há uma variedade de passes de trem disponíveis que permitem várias datas de viagem por até 90 dias, dependendo do passe que você escolher. Os passes de trem são uma ótima opção para estudantes que planejam viajar com frequência e podem ajudá-lo a economizar dinheiro em viagens longas e curtas.

Viagem de ônibus na Austrália


Os alunos que escolhem viagens de ônibus para viagens longas geralmente estão mais preocupados com o custo do que com uma chegada rápida. Embora viajar de ônibus possa ser um pouco lento e tedioso, permite que você aprecie a paisagem com conforto durante o caminho para o seu destino. Esta opção econômica de transporte na Austrália é uma excelente escolha para se locomover pela cidade e em viagens curtas, e é uma opção viável para viajar entre as principais cidades se você não estiver com um cronograma apertado.

Viagem de carro na Austrália


Alugar ou comprar um carro durante a sua estadia na Austrália oferece a maior liberdade e conveniência de qualquer opção de transporte na Austrália. Optar por viagens de carro permite que você escolha com que rapidez ou lazer chegará ao seu destino e explore a Austrália sem as restrições de horários de trem e rotas de ônibus.

Quer você escolha alugar um carro para um passeio de fim de semana até a costa ou uma semana acampando no mato, você descobrirá que esta opção conveniente permite adicionar viagens secundárias improvisadas, explorar aldeias e ver um lado diferente da Austrália que não é necessariamente encontrados ao longo das principais estradas entre as cidades.

A chave para o transporte conveniente na Austrália é planejar com antecedência. Conheça suas opções, estabeleça seu orçamento de viagem e determine a quantidade de tempo que você pode reservar para transporte. Em seguida, certifique-se de planejar o transporte de e para o seu destino, bem como o transporte durante a sua estadia.


Fim do transporte do condenado

Em 1849, o governo britânico autorizou a conversão da Austrália Ocidental de um assentamento livre em uma colônia penal.

Em 9 de janeiro de 1868, o transporte do condenado Hougoumont chegou ao porto de Fremantle. A bordo estavam 269 condenados, o último a ser enviado para a Austrália Ocidental.

A chegada do navio marcou o fim de 80 anos de transporte penal contínuo para o continente australiano.

Inquirer e notícias comerciais, Perth, 5 de fevereiro de 1868:

No futuro, presume-se que todos os que vierem aumentar nossa população serão virtuosos. Doravante, nossos vizinhos [sul-australianos] não podem assumir aquela atitude severa e ameaçadora que consideraram sábio apresentar às autoridades locais e a nós mesmos.

Povoação na Austrália Ocidental

Desde o estabelecimento de uma colônia penal em New South Wales em 1788, a Austrália serviu à Grã-Bretanha como uma prisão e um meio de descarregar o excesso de pessoas durante um período de rápido crescimento populacional, crescente instabilidade social e política e crises econômicas regulares.

Enquanto uma porção significativa da população da Austrália e rsquos eram eles próprios condenados ou descendentes de condenados, e a maioria havia se estabelecido para se tornarem cidadãos cumpridores da lei, os colonos livres passaram a ter uma visão cada vez mais desfavorável dos condenados. Eles os viam como, na melhor das hipóteses, uma fonte frequentemente problemática de trabalho e, na pior, uma perigosa praga moral que manchava a sua reputação e a de sua colônia.

Em contraste com as colônias orientais, os assentamentos no oeste e no sul da Austrália deveriam ser condenados em liberdade.

Os primeiros colonos chegaram ao rio Swan em 1829, três anos após um pequeno posto militar avançado ter sido estabelecido em King George & rsquos Sound, agora Albany, para impedir qualquer tentativa dos franceses de assumir o controle do terço ocidental da Austrália.

A decisão de fundar a colônia foi baseada no que pode ser dito com justiça foi um relato enganoso do capitão James Stirling, que explorou a área em 1827 e mais tarde se tornou o primeiro governador da colônia.

Tendo ouvido as terras do Cisne serem descritas como exuberantes, férteis e produtivas, muitos colonos ficaram chocados quando se viram praticando a agricultura de subsistência no que era pouco mais do que areia.

A depressão econômica da década de 1840 & ndash se sentiu em todas as colônias australianas & ndash afetou a Austrália Ocidental muito mal. A colônia incipiente ainda não tinha população, capital ou mercados suficientes para resistir à crise.

O impacto de uma mudança no preço oficial da terra também foi severo, e um pequeno grupo de pastores associados à York Agricultural Society começou a fazer lobby pelo transporte, alegando que forneceria uma fonte gratuita de mão de obra que resolveria muitos dos problemas da colônia. . Muitos na colônia discordaram deles e as propostas iniciais foram derrotadas.

Só quando houve uma mudança de governador é que essas propostas encontraram um ouvido mais simpático. O governador Fitzgerald, que deu nome a Geraldton, manteve contato com Londres, que em maio de 1849 autorizou a conversão da Austrália Ocidental em colônia penal.

Fim do transporte para a Austrália

A notícia não foi bem recebida nas colônias orientais. A oposição ao transporte vinha se acumulando em Nova Gales do Sul desde a década de 1830 e recebeu um impulso quando um amigo de William Charles Wentworth & ndash Robert Wardell & ndash foi assassinado por um condenado em 1834.

A oposição ao transporte penal tornou-se uma questão tão séria que em 1837 o governo britânico estabeleceu uma comissão de inquérito chefiada por Sir William Molesworth.

Molesworth, a Radical Member of Parliament, was sympathetic to causes such as colonial self-government and the abolition of slavery, and his commitment to these two causes had a significant impact on how he conducted the commission.

Molesworth&rsquos inquiry looked into the effectiveness of transportation as a deterrent to crime, its moral impact on the colonies and what, if any, changes should be made. He found the system of assigning convicts to individuals was iniquitous, and recommended its abolition. He also condemned flogging.

Molesworth&rsquos portrayal of colonial society as violent and morally suspect outraged colonists, but his report was favourably received by the Prime Minister Lord Melbourne&rsquos administration and in 1840 transportation to New South Wales ceased.

However, transportation continued in Victoria, Queensland and Tasmania, and commenced in Western Australia in 1850.

No Convict Fremantle: A Place of Promise and Punishment, Michal Bosworth notes that Swan River colonists had already flirted with transportation when they accepted juvenile offenders, known as the Parkhurst boys, between 1842 and 1849.

The arrival of adult male convicts in 1850 and their labour over 20 years did have a significant economic impact on the struggling colony. They constructed essential infrastructure, such as the road from Albany to Perth and the Fremantle Bridge connecting Fremantle with the road to Perth.

Convict labour built many of what are now Western Australia&rsquos most treasured heritage sites such as Government House and the Perth Town Hall, and significant sites in Fremantle such as the Fremantle Prison and the Fremantle Arts Centre, formerly the lunatic asylum.


Facebook

Im an Aussie so having rules gets in my craw, but it has become apparent we need a few here if this page is to continue.
The greater amount of people get what this page was intended for I love your work, but some of you have missed the point completely.

How about these as guidelines rather than rules, because somethings may be hard to decide upon.

… Ещё 1. No advertising for singles (we get heaps of these weekly)
2. No advertising for businesses, relevant charities and not for profit, go for your life.(we get a lot of people who want to get their product or business seen so they spam us)
3. Aussie History only unless something is really special.(Im sure your country has a great past, please start your own page and tell your story)
4. Please no politics or religion
5 .Play nice

Kings Forman поделился публикацией.

The Trailer for the 1954 Movie, Back of Beyond on, Now the Movie is on Netflix.

Kings Forman ‎old Australian Truck Driver’s Group

The Trailer for the 1954 Movie, Back of Beyond on, Now the Movie is on Netflix. I believe this movie won Academy Award at the time.

Kings Forman поделился публикацией.

Lisa Clarke just posted this photo, now that is a caravan I like.

Kings Forman ‎old Australian Truck Driver’s Group

Lisa Clarke just posted this photo, now that is a caravan I like.

Kings Forman поделился публикацией.

Paul Goodwin posted this on a Non Trucking Group. ---- I was surprise and delighted when I saw Netflix had put the 1954 Movie, Back of Beyond on the viewing list. This a true blue, riggi didge, fair dinkum trip … Ещё back in time , and if you were brought up in this time, pangs of nostalgia and pride will burst from your heart and memory. This is a story about the Tom Kruse who meant more to the people he delivered vital mail and supplies to than a bloke with a similar name who shows up in the movies. Listen to the " Cultured Australian" spoken by the narrator. It's a shame it's not in colour. It's black and white, but then I also get sentimental about sepia photos. While melbourne was preparing for the 1956 Olympics, Tom was out there making dust and battling sand dunes.

Kings Forman ‎old Australian Truck Driver’s Group

Paul Goodwin posted this on a Non Trucking Group. ---- I was surprise and delighted when I saw Netflix had put the 1954 Movie, Back of Beyond on the viewing list. This a true blue, riggi didge, fair dinkum trip … Ещё back in time , and if you were brought up in this time, pangs of nostalgia and pride will burst from your heart and memory. This is a story about the Tom Kruse who meant more to the people he delivered vital mail and supplies to than a bloke with a similar name who shows up in the movies. Listen to the " Cultured Australian" spoken by the narrator. It's a shame it's not in colour. It's black and white, but then I also get sentimental about sepia photos. While melbourne was preparing for the 1956 Olympics, Tom was out there making dust and battling sand dunes.


Política

All the colonies except Western Australia gained responsible self-government. New South Wales led the way when an imperial act of 1842 created a two-thirds elective legislature. The Australian Colonies Government Act (1850) extended this situation to Victoria, South Australia, and Tasmania. The act made allowance for further revision of the colonial constitutions, and in 1855–56 this took effect in the four colonies, Tasmania then abandoning the name Van Diemen’s Land. Queensland followed after its separation from New South Wales. All had bicameral legislatures, with ministers responsible to the lower houses, which by 1860, except in Tasmania, were elected on a near-democratic basis (all adult non-Aboriginal men were eligible to vote). In Victoria and South Australia the secret ballot was introduced in 1856 (see Australian ballot).

While the imperial power thus responded to colonial cries for self-rule, on the way there were some tense moments. Virtually all colonists abhorred paying taxes for imperial purposes, including the costs of maintaining convicts locally a good many disliked convictism altogether most disputed the imperial right to dictate land policy and many, especially in South Australia, disapproved of the imperial government’s directing that aid be given to religious denominations.

From the outset of the period, the imperial government fostered a freer market in land and labour throughout the colonies, not merely in South Australia. Thus, grants of land ceased in 1831, replaced by sale. Attempts to create a pastoral-lease system caused much friction, with colonists generally hostile to any demand for payment. In New South Wales in 1844, new regulations even prompted talk of rebellion.

With regard to labour, colonists agreed with imperial encouragement of free migration, but friction arose over the convicts. British opinion in the 1830s became increasingly critical of the assignment of convicts to private employers as smacking of slavery it was abolished in 1840, and with it transportation of convicts to the mainland virtually ceased, although increased numbers were sent to Tasmania. The end of assignment removed the chief virtue of transportation, from the colonists’ viewpoint, and so contributed to a vigorous movement against its continuation. The British government ended transportation to eastern Australia in 1852. In Western Australia transportation began in 1850, at the colonists’ behest, and continued until 1868. Altogether some 151,000 convicts were sent to eastern Australia and nearly 10,000 to Western Australia.

In the early 1850s the most dramatic political problem arose from the gold rushes. Diggers (miners) resented tax imposition and the absence of fully representative institutions. Discontent reached a peak at Ballarat, Victoria, and in December 1854, at the Eureka Stockade, troops and diggers clashed, and some were killed. The episode is the most famous of the few occasions in Australia’s history involving violence among Europeans.

Common suspicion of the imperial authority modified, but did not obliterate, internal tension among the colonists. Divisions of ideology and interest were quite strong, especially in Sydney, where a populist radicalism criticized men of wealth, notably the big landholders. The coming of self-government marked a leftward (although far from revolutionary) shift in the internal power balance.


Steam Engines

In 1769, the Watt steam engine changed everything. Boats were among the first to take advantage of steam-generated power in 1783, a French inventor by the name of Claude de Jouffroy built the "Pyroscaphe," the world’s first steamship. But despite successfully making trips up and down the river and carrying passengers as part of a demonstration, there wasn’t enough interest to fund further development.

While other inventors tried to make steamships that were practical enough for mass transport, it was American Robert Fulton who furthered the technology to where it was commercially viable. In 1807, the Clermont completed a 150-mile trip from New York City to Albany that took 32 hours, with the average speed clocking in at about five miles per hour. Within a few years, Fulton and company would offer regular passenger and freight service between New Orleans, Louisiana, and Natchez, Mississippi.

Back in 1769, another Frenchman named Nicolas Joseph Cugnot attempted to adapt steam engine technology to a road vehicle—the result was the invention of the first automobile. However, the heavy engine added so much weight to the vehicle that it wasn't practical. It had a top speed of 2.5 miles per hour.

Another effort to repurpose the steam engine for a different means of personal transport resulted in the "Roper Steam Velocipede." Developed in 1867, the two-wheeled steam-powered bicycle is considered by many historians to be the world’s first motorcycle.

Locomotivas

One mode of land transport powered by a steam engine that did go mainstream was the locomotive. In 1801, British inventor Richard Trevithick unveiled the world’s first road locomotive—called the “Puffing Devil”—and used it to give six passengers a ride to a nearby village. It was three years later that Trevithick first demonstrated a locomotive that ran on rails, and another one that hauled 10 tons of iron to the community of Penydarren, Wales, to a small village called Abercynon.

It took a fellow Brit—a civil and mechanical engineer named George Stephenson—to turn locomotives into a form of mass transport. In 1812, Matthew Murray of Holbeck designed and built the first commercially successful steam locomotive, “The Salamanca,” and Stephenson wanted to take the technology a step further. So in 1814, Stephenson designed the "Blücher," an eight-wagon locomotive capable of hauling 30 tons of coal uphill at a speed of four miles per hour.

By 1824, Stephenson improved the efficiency of his locomotive designs to where he was commissioned by the Stockton and Darlington Railway to build the first steam locomotive to carry passengers on a public rail line, the aptly named "Locomotion No. 1." Six years later, he opened the Liverpool and Manchester Railway, the first public inter-city railway line serviced by steam locomotives. His notable accomplishments also include establishing the standard for rail spacing for most of the railways in use today. No wonder he’s been hailed as "Father of Railways."


1 Laurence Hynes HalloranBigamist Preacher, Public School Founder

The problem with writing about Laurence Hynes Halloran is knowing where to start.

In 1825, a petition was submitted to the Australian government and all appropriate councils. It called for the establishment of the Public Free Grammar School in Sydney, and it was authored by Laurence Halloran, DD, professor of the classics and of mathematics. He began by saying that he wanted nothing more than to afford the minds of Sydney with the opportunities that went along with education, and the kindness he&rsquod found in Sydney had encouraged him to pay something back to this wonderful community.

It was a community that Halloran reached after a rather complicated series of events. An Irishman born in 1765, he was an orphan who joined the navy and was first jailed for the stabbing death of another midshipman in 1783. He was acquitted the next year, and he moved to Exeter to marry and to run a school, presumably because background checks hadn&rsquot been invented yet. Charged with &ldquoimmorality&rdquo in 1796, he tried to become an ordained minister and failed. That didn&rsquot stop him from reentering the navy as a chaplain, though, and he was installed with a group at the Cape of Good Hope. After running afoul of the commanding general, he decided that the best way to deal with the situation was to publish a series of false claims regarding the whole thing. He was, unsurprisingly, found guilty, returned to Europe, and set about on a lifestyle dependent on his abilities as a forger. Finally convicted on the charge of forging a tenpenny frank, he was shipped to Sydney.

There, he established his first school, and the story wasn&rsquot over yet. Separated from his first wife but reunited with his other family (which included some children and their mother, who was also likely Halloran&rsquos own niece), he kept on writing and kept getting buried in defamation suits. Financial ruin followed, and it was only after he served a prison sentence for debt that he petitioned for the founding of the above-mentioned public school.

That school opened in November 1825, and in a March 1826 edition of The Sydney Gazette, some of the plan&rsquos shortcomings were outlined. Halloran was accused of constant drunkenness and an addiction to swearing, and students told stories about fighting and his perpetual drunkenness. By October, the school&rsquos operation was suspended, but with Halloran conveniently in jail once again by November, the school embarked on a do-over. Once out of jail, Halloran opened his own newspaper, which could only loosely be called a newspaper, as it was known for publishing two things&mdasharticles by Halloran and reports on the libel suits issued against him.

When that business failed, he was briefly appointed as Sydney&rsquos coroner but was removed from that position when he threatened to start publishing still more articles about an archdeacon. He died not long after that in 1831, presumably having never learned his own lessons.